Google Lens poderá dizer quem é o autor de obras de arte fora de museus


Qualquer pessoa que já explorou uma nova cidade provavelmente passou por alguma arte de rua bacana ou em algum estabelecimento, tirou foto e depois provavelmente pensou “poxa, isso aqui é legal demais”. Em breve, o Google Lens pode ser útil para ajudar a descobrir quem foi o artista local que fez a obra de arte.

O novo recurso está sendo testado em colaboração com a Wescover, um catálogo de arte digital com cerca de 5 mil marcas locais e artistas. Para usar o recurso, você simplesmente abre o app do Google no iOS ou no Android, abre o ícone do Google Lens e aponta para a obra de arte que quiser. Se estiver na base de dados da Wescover, você então verá as informações sobre o criador, a história e mais exemplos de obras parecidas. Você também conseguirá contatar o artista como um fã ou como comprador.

No momento, o recurso funciona apenas em San Francisco (Califórnia), EUA, mas a Wescover diz em seu website que mais cidades devem fazer parte da base de dados no futuro. Alguns exemplos incluem o mural da cafeteria Craftsman and Wolves, além das pinturas do SFMOMA no restaurante Situ. Ele também contará com outros tipos de arte, incluindo móveis e iluminação.

O Google Lens foi apresentado durante o Google I/O em 2017, mas tudo bem se você não souber muito sobre o recurso. Isso porque inicialmente ele ficava dentro do Google Assistente e no Google Fotos, antes de ser lançado como um app independente, há cerca de um ano. Na maioria das vezes, isso é bom para identificar objetos do dia a dia e fornecer alguma informação sobre eles (rola às vezes até saber a raça de um cachorro). No entanto, muitas das demonstrações mágicas que o Google exibiu durante o seu último evento para desenvolvedores ainda não estão prontas.

Embora seja legal, a colaboração com a Wescover tem suas limitações. Para começar, os artistas precisam estar na rede Wescover para o Lens funcionar. Além disso, não é provável que você possa identificar todas as obras de arte que encontrar por aí. Isso porque, embora não haja taxa para que os criadores de conteúdo se registrarem na plataforma, e a própria Wescover já realizar seu trabalho adicionar novos artistas, ela ainda depende muito do boca a boca. Mesmo assim, é um passo adiante para o mecanismo de pesquisa visual que o Google lançou em 2017.

[Engadget]



Source link

You May Also Like

About the Author: Marisa Ferreira

Pioneiro profissional zumbi. Especialista em internet incurável. Praticante de TV. Comunicador.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *