World War Z – Análise – Acção sem cérebro

A popularidade dos zombies nesta indústria diminuiu muito ao longo dos últimos anos e uma das maiores provas disso é que em 2019, um jogo como World War Z consegue ser uma proposta diferente, até refrescante, diriam alguns. Estas criaturas que atacam com grande violência e apenas querem saborear o sangue e carne dos humanos chegaram a ser dos mais populares elementos na indústria, mas será que ainda conseguem patrocinar a diversão num videojogo?

A Saber Interactive acredita que sim, especialmente se for feito através de uma experiência inspirada numa série como Left 4 Dead, imaginada para a actual indústria. Talvez seja essa a forma mais fácil de resumir este World War Z – um jogo inspirado na aclamada série da Valve que dorme há 10 anos. A ideia é mesmo essa, já passou tanto tempo desde o último Left 4 Dead que recriar a experiência em 2019 cheira a fresco.

Uma coisa é certa, resulta. World War Z aposta nessa experiência FPS cooperativa assimétrica, na qual poderás entrar numa campanha cooperativa dividida inicialmente em 3 partes (entretanto já foi adicionada uma quarta parte) ou em modos multi-jogador competitivos, onde terás de disparar para todos os zombies que surgem no ecrã e gerir o teu inventário. A quantidade absurda de hordas de zombies torna difícil poupar munição, mas a diversão é precisamente essa – disparar sem pensar no dia de amanhã.

Mais…

Original Article

You May Also Like

About the Author: Leonardo Pinto

Malvado entusiasta da web. Futuro ídolo adolescente. Empreendedor. Especialista freelancer em café. Fã de cultura pop.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *